Conheça a Vinhaça: um resíduo de cor escura e aparência pastosa.

Uma preocupação constante no processo de produção do Etanol, ela é deixada como resíduo, proveniente da destilação fracionada do caldo-de-cana fermentado. Possui cheiro forte e é rica em nitrogênio e potássio.

Curiosidade:
A vinhaça tem outros nomes como: vinhoto, tiborna, restilo 
O termo mais comum é vinhaça, porém o termo tiborna também é muito usado, inclusive detectamos um crescimento desse termo nos últimos tempos, com tendência até de ultrapassar o termo “vinhaça”, como pode-se ver no gráfico abaixo.

O termos de vinhaça mais citados na web

Um dos motivos é o termo regional usado. Por exemplo, o termo vinhaça é muito usado em São Paulo mas no Distrito Federal se usa tiborna. Então dependendo de onde ocorrerem fatos e notícias, o termo cresce devido à mídia e reportagens.

O Processo e o Problema
A proporção de resíduos no processo fica aproximadamente 13 litros de vinhaça pra cada 1 litro de Etanol produzido; que antigamente, eram lançados como efluente na beira de rios e lagoas, matando peixes e atingindo inclusive lençóis freáticos.

Esse problema do descarte da vinhaça cresceu principalmente em meados dos anos 70, quando o governo implementou o programa Proálcool, e o Etanol como combustível. Faltavam regras, e por isso, a partir de 1978, o governo juntamente com a Companhia de Tecnologia de Saneamento Ambiental (Cetesb) elaboraram normas e legislações específicas que obrigavam os produtores a darem um destino ambiental correto e até comercial a esses resíduos.

Lavoura com aplicação de vinhaça – Foto: Jarbas Yurasseck / Wikimedia Commons

Hoje em dia, a vinhaça é aproveitada por exemplo, em soluções nutritivas para hidroponia, tipos de cultura in vitro, como meio de cultura para algas (que inclusive, diminuem fortemente a toxicidade da vinhaça), na pecuária complementando a ração devido ao seu alto teor proteico, e principalmente, é utilizada na safra canavieira – que vai do mês de maio a dezembro – na fertirrigação (técnica de adubação que utiliza a água contendo fertilizantes ou outros tipos de resíduos diluídos, para levar nutrientes ao solo cultivado). Porém, o uso incorreto e abusivo dessa técnica pode causar sérios danos ao meio ambiente.

Vinhaça usada na formulação de um meio de cultura para alongamento e enraizamento in vitro de Oncidium leucochilum (orquídea).

E por falar em algas
A vinhaça como um meio de cultura para o crescimento e a multiplicação das microalgas é muito utilizada em outros países, principalmente os Estados Unidos, que possui inúmeras empresas utilizando algas para fazer biocombustíveis, inclusive bioquerosene de aviação, com financiamento também do Departamento de Energia dos Estados Unidos.

A Biodigestão Anaeróbica
Outra forma de aproveitamento eficiente, e que muito tem se falado, é o tratamento através de um Biodigestor Anaeróbico. Dessa forma, você gera biogás e um biofertilizante com reduzida carga orgânica, mas sem alteração nas propriedades fertilizantes.

Por isso a biodigestão Anaeróbica apresenta-se como a melhor solução para aproveitar essa biomassa; é ecologicamente correta além de ser sustentável e econômica.

O Biodigestor é um equipamento que se paga com o tempo, e agora com a vinhaça, é a solução economica perfeita para você transformar seu passivo ambiental em ativo financeiro.

E você, trabalha com vinhaça? Já pensou em adquirir um Biodigestor e gerar energia? Fale conosco sobre seu projeto! Pode ser via Whatsapp, Chat do Site ou Email.