A cisterna é um depósito de água que serve para suprir necessidades pessoais. Nos tempos em que não havia água encanada, muitas cisternas eram coletivas, servindo a muitas famílias. Nesse caso, as cisternas ou poços eram construídas sobre lençóis freáticos, mas também armazenavam a água pluvial.

Na verdade, cisternas, poços e cacimbas eram quase sinônimos. Hoje em dia, uma das principais finalidades das cisternas é acumular a água da chuva, sendo que sua utilização se dá em cidades e na zona rural. Para o produtor rural, será que vale a pena investir em uma cisterna? Confira a questão ao ler este post!

Trata-se de uma solução para regiões com pouca chuva

Uma das primeiras vantagens é que a cisterna é uma ótima alternativa para locais em que a chuva é escassa. Durante o período das chuvas, é possível acumular água para o período das “vacas magras”.

Mesmo que a população conte com água canalizada, ainda é uma boa solução. Nos lugares secos, a água encanada também costuma escassear e a população precisa de um suporte de abastecimento.

A cisterna é um exemplo de sustentabilidade

Vivemos em uma época em que se fala muito sobre preservação dos recursos naturais, sobre a necessidade de economizar água e energia elétrica. Investir em uma cisterna é uma solução muito sustentável, pois contribui para o reaproveitamento da água da chuva.

A água da chuva pode ser utilizada para diferentes tarefas, inclusive no setor do agronegócio. As empresas especializadas fornecem todo o sistema para o cliente, conforme suas demandas. Ou seja, atendem diferentes setores: indústria, comércio, condomínio e agronegócio.

Proporciona uma grande economia

Sem dúvida, o uso da cisterna gera muita economia para o produtor rural. A água pode ser usada para a irrigação da lavoura e para a limpeza de diferentes áreas, como os estábulos.

Aproveitando a água da chuva para realizar essas atividades, o produtor certamente poderá aumentar os lucros de seu negócio, já que as contas com água cairão bastante.

O sistema é mais prático e econômico que outras soluções que o homem do campo costuma utilizar, como cavar poços profundos e canalizar água de rios. Apesar de o investimento inicial ser relativamente alto, o custo-benefício compensa. Em médio e em longo prazo, o produtor rural poderá perceber isso com mais evidência.  Geralmente, já no primeiro ano é possível perceber a diferença. Aproximadamente, é possível obter uma economia de 50% de água.

A estrutura é bastante eficiente

As agrocisternas, geralmente, são enterradas, diferentemente do que acontece com as cisternas usadas em indústrias e condomínios. A estrutura metálica do sistema recebe calhas devidamente posicionadas nas laterais, a fim de captar a água da chuva. Existe um filtro que elimina muitas das impurezas da água, como folhas e garranchos, mas a água não é potável.

Um freio d’água impede que, quando a água penetre na cisterna, promova a agitação do conteúdo e traga à tona partículas sólidas que estão acumuladas no fundo. Existem também cisternas com revestimento impermeável, que previne o desenvolvimento de algas, impedindo a incidência da luz solar sobre a água. As algas só se desenvolvem em locais que são iluminados pela luz do sol.

As cisternas para o campo costumam variar sua capacidade volumétrica. Há aquelas com capacidade para 150 mil litros até as que apresentam capacidade para 1.050 mil litros.

Certamente, vale a pena investir em uma cisterna para o seu agronegócio. É uma solução sustentável que favorece a produtividade e a geração de lucros.

Agora é a sua vez de falar. Use os espaços abaixo e registre suas ideias, faça seu comentário!